Escala maior

Escala maior

Antes de aprender sobre escala maior, é necessário saber sobre intervalos, ciclo das quintas e das quartas e também sustenido e bemol.
Para entender a escala maior, nós iremos começar montando a escala de Dó maior.
As escalas servem para sabermos quais notas irão cair no tom que estivermos usando, serve também para saber quais acordes e funções iremos ter na música, para modulações de tom em uma música, para montagem de acordes, montagem de campo harmônico e improviso.
As escalas tem origem nos modos gregos, a escala maior foi apelidada de escala maior e sua origem é do povo Jônio, que é um dos 7 povos gregos utilizados na música.
Se pegarmos a escala de dó maior, iremos encontrar um padrão em sua montagem:

DÓ RÉ MI FÁ SOL LÁ SI DÓ
tom tom st tom tom tom st

Então, nós encontramos o padrão de tom, tom, semitom, tom, tom, tom e semiton. Este padrão que escontramos, serve apenas se começarmos da nota DÓ.
A partir de agora, a nossa referência será o padrão que encontramos em dó, e o que faremos com esse padrão? Para utilizar a escala maior, iremos usar o ciclo das quintas.
Usando o ciclo das quintas nós sabemos que a próxima nota que teremos após o DÓ, é o SOL, e a partir disso iremos colocar o padrão de tom, tom, st (semitom) , tom, tom, tom, st (semitom), partindo da nota sol, vamos lá:

SOL LÁ SI DÓ RÉ MI FÁ SOL

tom tom st tom tom tom st

Colocado o padrão, vamos conferir os intervalos.


Conferindo os intervalos podemos ver que um deles está errado, isso mesmo, de MI para FÁ nós não temos um tom, então para isso nós aumentamos a distância entre eles usando o sustenido (#).

Logo, a escala irá ficar:

SOL LÁ SI DÓ RÉ MI FÁ# SOL

tom tom st tom tom tom st

Seguindo o ciclo de quintas teremos as escalas das notas RÉ, LÁ, MI, SI, FÁ# e vamos parar em FÁ#, não iremos dar seguimento ao ciclo das quintas após o FÁ# para facilitar a memorização do padrão.

Então encontramos as seguintes notas nas escalas dos ciclos das quintas:

RÉ MI FÁ# SOL LÁ SI DÓ#

LÁ SI DÓ# RÉ MI FÁ# SOL#

MI FÁ# SOL# LÁ SI DÓ# RÉ#

SI DO´# RÉ# MI FÁ# SOL# LÁ#

FÁ# SOL# LÁ# SI DÓ# RÉ# MI#(FÁ)

Na última escala, a escala de FÁ# nós encontramos o MI# que é equivalente ao FÁ, mas não podemos trocar o nome da nota para FÁ pois o MI# faz parte da escala.

Sendo assim, encontramos 7 escalas a partir do DÓ, certo?

Irei mostrar no teclado do piano para ficar mais fácil a visualização das escalas.

Como podemos ver no desenho, ainda temos mais 5 teclas (quatro pretas e uma branca) para serem encontradas as escalas, isso porque elas estão no ciclo das quartas.

Então vamos começar, para isso, iremos novamente seguir o padrão da escala de DÓ maior com tom, tom, st, tom, tom tom e st.

Antes, nós aplicamos esse padrão na nota DÓ e após isso, na nota SOL. Agora nós iremos aplicar isso na primeira nota do ciclo das quartas, que é a nota FÁ. Vamos começar:

FÁ SOL LÁ SI DÓ RÉ MI FÁ SOL

Se formos conferir, podemos ver que não teremos um semitom de LÁ para SI, então ao contrário do ciclo das quintas, nós iremos reduzir o tamanho desse intervalo usando o bemol (b). Pronto, agora temos o padrão da escala maior na escala de FÁ.

FÁ SOL LÁ SIb DÓ RÉ MI FÁ SOL

tom tom st tom tom tom st

Agora para montarmos as escalas do ciclo das quartas, é só aplicar o padrão e encontrar as escalas de SIb, MIb, LÁb, RÉb e SOLb.

Então, após montar as escalas, nós encontramos os seguintes resultados:

SIb, DÓ, RÉ, MIb, FÁ, SOL, LÁ

MIb, FÁ, SOL, LÁb, SIb, DÓ, RÉ

LÁb, SIb, DÓ, RÉb, MIb, FÁ, SOL

RÉb, MIb, FÁ, SOLb, LÁb, SIb, DÓ

SOLb, LÁb, SIb, DÓb, RÉb, MIb, FÁ

Na última escala de SOLb, nós encontraremos o DÓb que é equivalente ao SI, entretanto, devemos manter nome de DÓb.

Agora novamente voltando ao teclado do piano, vamos avaliar as escalas que encontramos.

Podemos ver que o ciclo das quartas serviu para completar as escalas que estavam faltando.

Agora continue estudando e colocando em prática o usa das escalas dos ciclos das quartas e das quintas para cada vez mais usarmos elas para modulações de tom, improviso, montagem de acordes, campo harmônico e afins…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *